Contribua para a Campanha do Agasalho 2009

Campanha do Agasalho 2009

Thursday, February 22, 2018



Falando com o meu Diário: Hoje “Sou” sem Ideias!

Hoje, decidi falar contigo, terno Diário.
Abri a página em branco, com saudades de ti e da tua pureza.
Olha, adorável Diário, estou com uma dor de cabeça avassaladora que persiste intensa e profundamente em não me deixar. Já há imenso que te lancei apelos sobre apelos há tua magia terna e doce. Que transmites afagantemente e afetivamente com o teu silêncio e quietude.
Contínuas de forma afirmante à tua fidelidade e silêncio do que vou-te proferindo. Se calhar de insensatez e desencanto?
Fazes-me falta, sabes? Imensa necessidade em concretizar os meus inúmeros sentimentos que me ocorrem. Não os partilho com qualquer um. Contigo é de sinceridade e verdade. Ternura.
As minhas emoções desfazem-se a cada dia que passa.
Os meus pensamentos parecem um nada. Merecem maior cuidado e preocupação. As minhas sensações refugiam-se num cantinho do meu cérebro. Escondidas. Secretas. Misteriosas no que “habitam” em mim. Só no que sou.
Hoje, vou tratar da felicidade que permanece no meu Ser. Que tenta ser simpático e amável com gente que é gente. Nunca as deixei ao acaso de mim
Como um médico assiste um doente. Eu interesso-me por vós. Difundindo-vos o meu bem-estar e sossego.  Apesar de ser feliz. “Disseco” a felicidade minha e dos outros. Com carinho e sobriamente.
Olha, Maravilhoso Diário, gosto muito do teu sentir. Do teu estar. Do teu Ser perfeito e sem mágoas por te não abrir mais frequentemente. És de um extraordinário viver e existir. De que gosto imenso.
Gosto de ti. Do valor que perpetuamente irradias no que sou. Valentia. Só tuas. Que propagas pelo “Planeta “ inteiro. Sorrindo. Com amizade e coragem.
Adorei falar-te este “bocadinho”. Este “pequeno” sentir que só tu vês e permites que te faz falta a ti e a mim.
Pronto. Espero escrever, num futuro incerto, mais “coisas” sobre o que preservo com delícia e no teu encanto que ninguém descortina. Que ninguém conhece.
Até sempre. Fecho-te na promessa que és majestoso e vives de perfeição e sigilo que adoro.
ÉS tudo para mim.
É tudo, amigos.
Obrigado, Diário mágico que me deixa “vestir” e “despir”a vida contigo. De forma lúcida com todos e todas.
Falei com o meu Diário: Hoje “Sou” sem Ideias!


António Pena Gil

Sejam felizes, amigos de sonho, sim?
Simpatizo muito convosco.

Tuesday, February 20, 2018



Gosto Imenso de Falar com Deus!

Os ponteiros do relógio marcavam as cinco horas quando me levantei.
Não sei porquê, mas levanto-me muito cedo. Quase não durmo. Desci as escadas com fulgor e determinação. Fiz o meu pequeno-almoço que tomei num ápice.
Começava mais um dia da minha existência. Feita de gente majestosa e perfeita. De uma magia muito doce. Que sabe tudo o que eu sei. Sussurra-me confidências só suas. Como sabem-nas Secretas em mim e no que sou. Intransponíveis. Intocáveis. Irreveláveis.
 Uma beleza “entranhada” no carinho de pureza. Como uma chama direcionada ao meu carácter acesa no meu ser alumiando-me majestosamente e de vida de ternura.
De um carinho sensível e imenso.
Ele está presente.
Como Concebe a vida das pessoas. Como Regista-as com a Sua presença visível de fabuloso sentir delas. Que Me ensinou como agir. Como Ser. Como Estar. Como sentir. Como Me ensinou a ser eu mesmo. Autêntico. Real.
A Encarar a existência como uma dádiva do mundo. Sim! A “vestir” o Planeta” inteiro com doçura e meigamente. De que não me arrependo.
 É que sei tão pouco.
Converso tanto com Deus. Com encanto. Com beleza. Com o pouco que sei. Só assim consigo existir.
Por vezes, afaga-me nos Seus braços protetores aconchegantes. Que adoro. Também Me senta no Seu seio. Fico a contemplá-lo e permaneço no Seu colo. Maravilhoso aprazível e perfeito. Com aquela Sua sublime transcendência de excelência porque Existe e faz-Nos viver.
Que Emana vida plena e precisa. Que propaga o que necessito. Que me auxilia nos instantes mais significativos e preciosos de forças para continua a usufruir de Si.
Sem Ele, creio que a existência que vivo sentiria um vácuo. Um Vazio em mim.
A casa agita-se. Sinto-a, essa terna agitação.
São horas de levantar. São horas do começar um novo dia. Vivido na Sua paz da Sua agradabilidade e do Seu misticismo perfeito e profundo. Que acalenta sossego. Um bem-estar grandioso. Em tranquilidade absoluta e total. Uma “Luz Acesa”. Da Sua “agilidade” e beleza profundas.
Como é uma delícia de divinal apreço que tenho por Ele? Ainda bem que Está comigo. Com todos.
É magnificente e extraordinário.
É tudo, fantásticos, amigos de sonho.
Gosto Imenso de Falar com Deus!

Obrigado.

António Pena Gil
Sejam, felizes, sim, amigos preciosos?
Gosto imenso de vós.


Parabéns, Amor!

Hoje, é o dia do teu aniversário.
Desejo-te um maravilhoso e mágico dia.
Estou sem palavras.
Sempre me deste a mão nos momentos mais aflitivos e desencantados da minha vida.
Estou sensibilizado. Muito comovido.
Quando nasceram os nossos adoráveis filhos choramos de alegria e majestoso encanto e beijamo-nos terna e sublimemente.
Parabéns.
Que seja tudo de extraordinário e doce, este significativo evento precioso e belo. De imensa ternura para contigo. Deslumbre!
Sê sempre como és. Mereces, plenamente a minha vida.
Com amor.
António Pena Gil

Sunday, February 18, 2018



Como Adoraria “Embelezar” O Planeta. Sim! Todo. Por completo.

Hoje, quando olhei o relógio era muito cedo, mesmo, muito cedo. Sei que não me dou muito bem com ele. Com o tempo imparável.
Que ocorre no seu percurso avassalador de grandiosidade “velocidade”.
Que não se compadece com as pessoas. Com os seus ritmos lentos, saído das vicissitudes de gente que o faz por entender. De gente o faz tentar compreender.

O tempo devia partir para longe do meu pensamento. Do meu sentimento.
Dos sentimentos e pensamento das pessoas “vestidas” de ternura e harmonia desejáveis.

Num Universo pessoal de pureza e majestade. Com que “explodem” e lhes dão sentido. A eles. A elas.
Sim! Aos mistérios do Ser. “Controladores” indignos do surgirem.
Que “moram” na ternura e carinho da vida. Que desejam. Com imensas “coisas” por fazer que às vezes ficam sem fazer.
 Está estruturado de forma imperfeita. Não deixa viver e “existir”. Estão “pregados” ao “Mundo”. A si.
Sem uma profundidade de vida nada majestosa. Nada doce. Que nem responde a uma saudação com uma resposta simpática. Harmoniosa.
Possuo uma gratidão imensa para com a Humanidade. Para com o seu encanto. Bravura. Para com a magia terna e pura de viver nela.
São Perfeitos. São maravilhosos. Transcendem de sublime sentir que sinto. Que “apazigua” todo o mal porque nasci. Por quem sou, agora. Pelo carinho lindo com que sempre “embelezei” as pessoas.

Que merecem na sua plenitude e intensidade de serem.
As pessoas? Adoro-as. Nutro por elas imensa dedicação e imenso conforto. Fascínio. No “embelezamento” que a todos devo.
Pela sua maneira extraordinária que as “faz”.
Gostarei sempre de vós. Podem crer.

Como adoraria “embelezar” o Planeta. Sim! Todo. Por completo.

António Pena Gil

Está tudo, preciosos amigos.
Sejam felizes, sim?
Gosto muito de vós.


Na Busca da Identidade do Ser!

Sempre tive boas maneiras. Tento “rumar” à sinceridade do que sou. Do encanto que “mora” em vós.
Não! Nunca estive tão idêntico. Sério. Busco apenas o existir. Com veracidade. Com a vida que tanto desejo. Com a minha ternura e Alma corajosas e aprazíveis. Que emanam quando me “desenho” ternamente no precioso planeta do meu ser. Com felicidade. Com bem-estar tão desejados. Paz.

Serei sempre honesto. Sensível. Afetivo. Visível.
Com essa magia doce de adornar-me da pureza e no fascínio de gentes valorosas. Imprescindíveis. Sim! Contemplo a sua majestade. Por ser fantástica. Repleta do esplendor e beleza das pessoas.

Pessoas que me dizem tanto. Imenso. Vivem no seu Ser com valentia e corajosamente.
Deus a tudo assiste. Com aquela delícia de transcendência. Com aquela notoriedade e agradabilidade minhas. Que apostam na vida. Com garra. Com determinação. Com virtuosismo.
O “existir” assenta --lhes muito bem.
Parece que me sussurram esta panóplia de valores e atitudes de excelência. A que me apego repleto de paz. Sensatez. Tranquilidade do pensar adornado do seu carácter maravilhoso. Estarrecedor. Lindo. Perfeito. Que preenche de magia fabulosa. Fantástica.

Eu, apenas, Busco a Identidade do Ser!
Sim, amigos. É tudo.

António Pena Gil
Sejam felizes, sim, amigos.
Obrigado.